quinta-feira, 15 de abril de 2010



Ponho um beijo demorado no topo do teu joelhoDesço-te a perna arrastando a saliva pelo meioOnde a língua segue o trilho até onde vai o beijoNão há nada que disfarce de ti aquilo que vejoEm torno um mar tão revolto no cume o cimo do tempoE os lençóis desalinhados como se fosse de ventoVolto então ao teu joelho entreabrindo-te as pernasDeixando a boca faminta seguir o desejo nelas


maria teresa horta

2 comentários:

Anónimo disse...

Se isto fosse o facebook eu fazia click em "gosto disto" lol :D

biga disse...

Like:)