segunda-feira, 19 de outubro de 2009

amores perfeitos.


"Habituamo-nos a tratar os amores como electrodomésticos: quando se escangalham, vamos ao supermercado comprar um novo, igualzinho ao que o outro era. Consertar? Não compensa: o arranjo sai caro, além de que nunca se sabe muito bem onde procurar a peça que falta. Substituímos a eternidade pela repetição, e o mundo começou a tornar-se monótono como uma lição de solfejo. Tememos a maior das vertigens, que é a da duração."
Nas tuas mãos, Inês Pedrosa
Mas há amores fora das aspas e desprovidos de citações. Amores que são amizades cúmplices e paixões de cinema. Amores como o meu-dele-nosso. Amores que resistem ao outono e mantêm-se verdes.
Hoje apetece-me pensar em ti. E não consigo evitar um sorriso. Esquecer que a saudade está só no início e que o tempo é da equipa adversária.
"Esperas por mim?"
"Até ao fim do mundo."

2 comentários:

Sandy disse...

Tenho um mimo para ti ;)

Anónimo disse...

Just have a little faith, and... Things will be just fine =)